Pagina 641 – 685

Publicado: 14 de outubro de 2009 por tshingo em Parte 15

Parâmetros

compact to%s (em que %s identifica um diretório de destino vazio)

Chama Esentutl.exe para compactar o arquivo de dados existente e gravar o arquivo compactado em um diretório especificado. O diretório pode ser remoto, ou seja, mapeado por meio do comando net use ou de outra forma similar. Depois que a compactação terminar, arquive o arquivo de dados antigo e mova o arquivo recém-compactado para o local original do arquivo de dados. O ESENT oferece suporte à compactação online, mas essa compactação apenas reorganiza páginas no arquivo de dados e não libera um espaço de volta ao sistema de arquivos. (O serviço de diretório chama a compactação online regularmente.)

header

Grava o cabeçalho do arquivo de dados Ntds.dit na tela. Este comando pode ajudar a equipe a oferecer suporte à análise de problemas do banco de dados.

info

Analisa e relata o espaço livre para os discos instalados no sistema, lê o Registro e reporta os tamanhos dos dados e dos arquivos de log. (O serviço de diretório mantém o Registro, que identifica o local dos arquivos de dados, de log e do diretório de trabalho do serviço de diretório.)

integrity

Chama Esentutl.exe para executar uma verificação de integridade nos arquivos de dados, que podem detectar qualquer tipo de dano ao banco de dados de nível inferior. Ele lê cada byte do arquivo de dados; por isso, pode levar bastante tempo para processar bancos de dados maiores. Observe que você deve sempre executar a recuperação antes de executar uma verificação de integridade.

move DB to %s (em que %s identifica um diretório de destino)

Move o arquivo de dados Ntds.dit para um novo diretório especificado por %s e atualiza o registro de forma que, durante a reinicialização do sistema, o serviço de diretório use o novo local.

move logs to %s (em que %s identifica um diretório de destino)

Move os arquivos de log do serviço de diretório para um novo diretório especificado por %s e atualiza o Registro de forma que, durante a reinicialização do sistema, o serviço de diretório use o novo local.

recover

Chama Esentutl.exe para executar uma recuperação de software do banco de dados. A recuperação de software examina os arquivos de log e garante que todas as transações confirmadas também sejam refletidas no arquivo de dados. O programa de backup do Windows 2000 trunca os arquivos de log apropriadamente. Os logs são usados para garantir que as transações registradas não sejam perdidas se o sistema falhar ou se ocorrer perda inesperada de energia. Na essência, os dados da transação são gravados primeiro em um arquivo de log e, depois, no arquivo de dados. Quando reiniciar depois de uma falha, você pode executar novamente o log para reproduzir as transações que foram confirmadas mas não foram feitas no arquivo de dados.

set path backup %s (em que %s identifica um diretório de destino)

Define o destino do backup disco a disco como o diretório especificado por %s. O serviço de diretório pode ser configurado para executar um backup disco a disco online em intervalos programados.

set path db %s (em que %s identifica um diretório de destino)

Atualiza a parte do Registro que identifica o local e o nome de arquivo do arquivo de dados. Use este comando somente para recriar um controlador de domínio que perdeu seu arquivo de dados e que não está sendo restaurado através os procedimentos normais de restauração.

set path logs %s (em que %s identifica um diretório de destino)

Atualiza a parte do Registro que identifica o local dos arquivos de log. Use este comando somente se estiver recriando um controlador de domínio que perdeu seus arquivos de log e que não está sendo restaurado através os procedimentos normais de restauração.

set path working dir %s (em que %s identifica um diretório de destino)

Define a parte do registro que identifica o diretório de trabalho do serviço de diretório como o diretório especificado por %s.

%s

Uma variável alfanumérica, como o nome do domínio ou do controlador de domínio.

quit (encerrar)

Leva você de volta ao menu anterior ou sai do utilitário.

? ou help

Exibe ajuda no prompt de comando.

Cuidado

  • A edição incorreta do Registro pode causar danos graves ao sistema. Antes de alterar o Registro, faça backup de todos os dados importantes do computador.

Comentários

  • O Active Directory é implementado sobre um gerenciador de tabelas de método de acesso seqüencial indexado (ISAM). Esse é o mesmo gerenciador de tabelas usado pelo Microsoft Exchange Server, pelo serviço de replicação de arquivos, pelo editor de configuração de segurança, pelo WINS e por outros componentes do Windows. A versão do banco de dados que o Windows 2000 e o Windows Server 2003, Standard Edition usam é chamada de mecanismo de armazenamento extensível (ESENT).
    ESENT é um sistema de banco de dados transacionado que usa arquivos de log para oferecer suporte à semântica de reversão para garantir que as transações sejam confirmadas no banco de dados. Idealmente, os dados e os arquivos de log devem estar localizados em unidades separadas para aprimorar o desempenho e oferecer suporte a recuperação de dados se um disco falhar.
  • O ESENT fornece sua própria ferramenta para determinadas funções de gerenciamento de arquivos de bancos de dados chamada Esentutl.exe, que também está instalada na pasta systemroot\System32. Vários comandos de gerenciamento do arquivo Ntdsutil chamam o Esentutl, reduzindo a necessidade de aprender os argumentos de linha de comando da ferramenta. Quando o Ntdsutil chama o Esentutl, ele exibe uma janela separada configurada com um grande histórico de forma que você possa rolar para baixo para ver todos os indicadores de progresso do Esentutl.
    O Active Directory abre seus arquivos em modo exclusivo. Isso significa que os arquivos não podem ser gerenciados enquanto o sistema estiver funcionando como um controlador de domínio.
    Para gerenciar arquivos do serviço de diretório
  1. Inicie o computador.
  2. Quando a barra de andamento Iniciando o Windows for exibida, pressione F8.
  3. No Menu Opções Avançadas do Windows 2000, selecione Modo de Restauração de Serviços de Diretório.

Observação

  • Iniciar o computador no Modo de restauração de serviços de diretório faz com que o controlador de domínio funcione temporariamente como um servidor autônomo. Isso faz com que alguns serviços falhem, especialmente os que são integrados ao serviço de diretório. Quando estiver funcionando nesse modo, o gerenciador de contas de segurança (SAM) usa um conjunto mínimo de definições de usuário e de grupo armazenados no Registro. Se o controlador de domínio não for protegido fisicamente, você deve definir a senha administrativa do Modo de restauração de serviços de diretório.

LDAP policies

Define os limites de administração de LDAP para o objeto de diretiva de consulta padrão. No prompt LDAP policies:, digite qualquer um dos parâmetros listados em Sintaxe.

Sintaxe

{cancel changes|commit changes|connections|list|set %s to %s|show values}

Parâmetros

cancel changes (cancelar alterações)

Cancela todas as modificações não registradas dos limites de administração de LDAP para a diretiva de consulta padrão.

commit changes

Registra todas as modificações dos limites de administração de LDAP para a diretiva de consulta padrão.

connections (conexões)

Chama o submenu Conexões do servidor.

list (listar)

Lista todos os limites de administração de LDAP para os quais há suporte para o controlador de domínio.

set %s1 to %s2

Define o valor do limite de administração de LDAP %s1 como o valor %s2.

show values (exibir valores)

Mostra os valores atuais e propostos dos limites de administração de LDAP.

%s

Uma variável alfanumérica, como o nome do domínio ou do controlador de domínio.

quit (encerrar)

Leva você de volta ao menu anterior ou sai do utilitário.

? ou help

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • A tabela a seguir lista e descreve os limites de administração do LDAP, com os valores padrão colocados entre parênteses.

 

Valor Descrição
InitRecvTimeout Tempo limite de recepção inicial (120 segundos)
MaxConnections Número máximo de conexões abertas (5000)
MaxConnIdleTime Quantidade máxima de tempo que uma conexão pode ficar ociosa (900 segundos)
MaxActiveQueries Número máximo de consultas que podem ficar ativas de uma só vez (20)
MaxNotificationPerConnection Número máximo de notificações que um cliente pode solicitar para determinada conexão (5)
MaxPageSize Tamanho máximo da página para o qual as respostas LDAP oferecem suporte (1000 registros)
MaxQueryDuration Duração máxima na qual o controlador de domínio pode executar uma consulta (120 segundos)
MaxTempTableSize Tamanho máximo do armazenamento temporário alocado para executar consultas (10000 registros)
MaxResultSetSize Tamanho máximo do conjunto de resultados de LDAP (262144 bytes)
MaxPoolThreads Número máximo de segmentos criados pelo controlador de domínio para execução da consulta (4 por processador)
MaxDatagramRecv Número máximo de datagramas que podem ser processados pelo controlador de domínio simultaneamente (1024)
  • Para garantir que os controladores de domínio ofereçam suporte a garantias de nível de serviço, você precisa especificar limites operacionais para um determinado número de operações do LDAP. Esses limites impedem que operações específicas impactem, de forma adversa, o desempenho do servidor e também façam o servidor resistente a ataques de negação de serviço.
    As diretivas LDAP são implementadas usando-se objetos da classe queryPolicy. Os objetos da diretiva da consulta podem ser criados no recipiente Diretivas da consulta, que é filho do recipiente Serviço de diretório no contexto de nomeação da configuração. Por exemplo: CN=Query-Policies, CN=Directory Service, CN=Windows NT, CN=Services (partição do diretório de configuração).
    Um controlador de domínio usa os três mecanismos a seguir para aplicar diretivas LDAP:
  • Um controlador de domínio pode fazer referência a uma diretiva LDAP específica. O objeto nTDSASettings inclui um atributo opcional queryPolicyObject, que contém o nome distinto de uma diretiva de consulta.
  • Na falta de uma diretiva de consulta específica sendo aplicada a um controlador de domínio, o controlador de domínio aplica a diretiva de consulta que foi atribuída ao site do controlador de domínio. O objeto ntDSSiteSettings inclui um atributo opcional queryPolicyObject, que contém o nome distinto de uma diretiva de consulta.
  • Na falta de um controlador de domínio específico ou de uma diretiva de consulta de site, o controlador de domínio usa a diretiva de consulta padrão chamada diretiva Default-Query.

Um objeto de diretiva de consulta inclui os atributos com vários valores LDAPIPDenyList e LDAPAdminLimits. O Ntdsutil permite que o administrador defina os limites de administração do LDAP e a lista de negação de IP do objeto de diretiva Default-Query.

Metadata cleanup

Limpa os metadados dos controladores de domínio que falharam. Quando um controlador de domínio que falhou armazena a única cópia de um ou mais domínios ou partições do diretório de aplicativos (também chamadas “contextos de nomeação”), a limpeza dos metadados também os remove das partições de diretório de aplicativos ou domínios selecionados. Quando você usa a versão de Ntdsutil.exe fornecida com o Windows Server 2003 SP1 (Service Pack 1), a limpeza dos metadados também remove as conexões do FRS (Serviço de duplicação de aplicativos) e tenta transferir ou aproveitar as funções mestras de operações mantidas pelo controlador de domínio que não será mais usado.

No prompt metadata cleanup:, digite qualquer um dos parâmetros listados em Sintaxe.

Sintaxe

{connections|remove selected domain|remove selected naming context|remove selected server|remove selected server %s|remove selected server %s1 on %s2|select operation target}

Parâmetros

Observação

  • Quando usa a versão de Ntdsutil.exe fornecida com o Windows Server 2003 SP1, você pode remover metadados do servidor com os comandos remove selected server %s ou remove selected server %s em %2 sem primeiro empregar os submenus Server connections e Select operation target.

connections (conexões)

Chama o submenu Conexões do servidor.

remove selected domain

Remove os metadados associados ao domínio selecionado no submenu Selecionar destino da operação.

remove selected naming context

Remove os metadados associados ao Contexto de Nomeação selecionado no submenu Select operation target.

remove selected server

Remove os metadados associados ao controlador de domínio selecionado no submenu Selecionar destino da operação.

remove selected server %s

Na versão de Ntdsutil.exe fornecida com o Windows Server 2003 SP1, remove do diretório ou host local os metadados de diretório e de FRS do servidor desabilitado %s, bem como tenta transferir ou aproveitar as funções mestras das operações mantidas pelo servidor %s para o host local.

remove selected server %s1 on %s2

Na versão de Ntdsutil.exe fornecida com o Windows Server 2003 SP1, conecta-se a um servidor %s2, remove os metadados de diretório e de FRS do servidor %s1 do diretório no servidor %s2 e tenta transferir ou aproveitar as funções mestras de operações mantidas pelo servidor %s1 par ao servidor %s2.

select operation target (selecionar destino da operação)

Chama o submenu Selecionar destino da operação.

quit (encerrar)

Leva você de volta ao menu anterior ou sai do utilitário.

? ou help

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • O serviço de diretório mantém vários metadados para cada domínio e servidor conhecidos na floresta. Normalmente, domínios e controladores de domínio são criados através da promoção usando o Assistente para instalação do Active Directory e são removidos através do rebaixamento com a mesma ferramenta. Você pode chamar o Assistente para Instalação do Active Directory digitando dcpromo no prompt de comando.
    A promoção e o rebaixamento são criados para limpar de forma correta os metadados apropriados. No entanto, no diretório, você deve ter controladores de domínio que foram encerrados incorretamente. Nesse caso, seus metadados não são limpos. Por exemplo, um controlador de domínio falhou e, em vez de tentar restaurá-lo, você decide não usar mais o servidor. Isso deixa algumas informações sobre o controlador de domínio que não está mais sendo usado no diretório. O modelo geral da operação é conectar-se a um servidor conhecido para ter uma cópia dos metadados prejudicados, selecionar um destino para a operação e excluir os metadados do mesmo. A versão de Ntdsutil.exe fornecida com o Windows Server 2003 SP1 pode conectar-se automaticamente a um servidor especificado e remover os metadados de um determinado destino na mesma etapa.
    Cuidado
  • Não exclua os metadados de domínios e controladores de domínio existentes.

Roles (Funções)

Transfere e ajusta funções do mestre de operações. No prompt roles:, digite qualquer um dos parâmetros listados em Sintaxe.

Sintaxe

{connections|seize domain naming master|seize infrastructure master|seize PDC|seize RID master|seize schema master|select operation target|transfer domain naming master|transfer infrastructure master|transfer PDC|transfer RID master|transfer schema master}

Parâmetros

connections (conexões)

Chama o submenu Conexões do servidor.

seize domain naming master

Força o controlador de domínio ao qual você está conectado a reclamar a propriedade da função do mestre de operações de nomeação de domínio sem considerar os dados associados à função. Use somente para fins de recuperação.

seize infrastructure master

Força o controlador de domínio ao qual você está conectado a reclamar a propriedade da função do mestre de operações de infra-estrutura sem considerar os dados associados à função. Use somente para fins de recuperação.

seize PDC

Força o controlador de domínio ao qual você está conectado a reclamar a propriedade da função do mestre de operações de PDC sem considerar os dados associados à função. Use somente para fins de recuperação.

seize RID master

Força o controlador de domínio ao qual você está conectado a reclamar a propriedade da função do mestre de identificação relativa sem considerar os dados associados à função. Use somente para fins de recuperação.

seize schema master

Força o controlador de domínio ao qual você está conectado a reclamar a propriedade da função do mestre de operações do esquema sem considerar os dados associados à função. Use somente para fins de recuperação.

select operation target (selecionar destino da operação)

Chama o submenu Selecionar destino da operação.

transfer domain naming master

Instrui o controlador de domínio ao qual você está conectado a obter a função de nomeação de domínio através da transferência controlada.

transfer infrastructure master

Instrui o controlador de domínio ao qual você está conectado a obter a função de mestre de operações de infra-estrutura através da transferência controlada.

transfer PDC

Instrui o controlador de domínio ao qual você está conectado a obter a função de mestre de operações de PDC através da transferência controlada.

transfer RID master

Instrui o controlador de domínio ao qual você está conectado a obter a função de mestre de operações de identificação relativa através da transferência controlada.

transfer schema master

Instrui o controlador de domínio ao qual você está conectado a obter a função de mestre de operações do esquema através da transferência controlada.

quit (encerrar)

Leva você de volta ao menu anterior ou sai do utilitário.

? ou help

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Apesar de o Active Directory ser baseado em um modelo de administração de vários mestres, algumas operações oferecem suporte a um único mestre somente. Em operações de vários mestres, a resolução de conflitos garante que depois que o sistema terminar a replicação, todas as réplicas concordam com o valor de uma determinada propriedade em um determinado objeto. No entanto, alguns dados, para os quais uma resolução de conflitos não é possível, são importantíssimos para a operação do sistema como um todo. Esses dados são controlados por controladores de domínio individuais chamados de mestres de operação. Esses controladores de domínio são conhecidos por manterem uma função de mestre de operações determinada.
    Veja a seguir as cinco funções de mestre de operações; algumas delas abrangem toda a empresa e algumas são por domínio:
  • Mestre de operações do esquema. Há uma única função de mestre de operações do esquema para toda a empresa. Esta função permite que o servidor mestre de operações aceite atualizações no esquema. Há outras restrições nas atualizações do esquema.
  • Mestre de identificação relativa. Há apenas um mestre de identificação relativa por domínio. Cada controlador de domínio em um domínio tem a capacidade de criar fundamentos de segurança. Cada fundamento é atribuído a uma identificação relativa. Cada controlador de domínio é alocado a um pequeno conjunto de identificações relativas fora de um pool de identificações relativas em todo o domínio. A função de mestre de identificação relativa permite que o controlador de domínio aloque novos subconjuntos fora do pool de identificações relativas em todo o domínio.
  • Mestre de nomeação de domínio. Há uma única função de mestre de nomeação de domínio para toda a empresa. A função de mestre de nomeação de domínio permite que o proprietário defina novos objetos de referência cruzada que representam domínios no recipiente de partições.
  • Mestre de operações do PDC. Há uma função de mestre de operações do controlador de domínio primário (PDC) por domínio. O proprietário da função de mestre de operações de PDC identifica qual controlador de domínio em um domínio executa atividades de PDC no Windows NT 4.0 para oferecer suporte a controladores de domínio de backup do Windows NT 4.0 e a clientes que usam versões anteriores do Windows.
  • Mestre de infra-estrutura. Há apenas uma função de mestre de identificação por domínio. O proprietário dessa função garante a integridade referencial de objetos com atributos que contêm nomes distintos de outros objetos que podem existir em outros domínios. Como o Active Directory permite que objetos sejam movidos ou renomeados, o mestre de infra-estrutura periodicamente verifica as modificações no objeto e mantém a integridade referencial desses objetos.
  • Não torne um servidor um proprietário da função através de comandos de tomada de controle se existir um guardador real de funções na rede. Dessa forma, você poderia criar conflitos irreconciliáveis para os dados do sistema chave. Se o proprietário de uma função de mestre de operações estiver indisponível no momento, não torne outro controlador de domínio o proprietário da função. Isso poderia resultar em uma situação na qual dois computadores funcionariam como o proprietário da função, o que poderia causar conflitos irreconciliáveis para os dados do sistema chave.
  • Uma função de mestres de operações podem ser movida somente por um envolvimento administrativo; ela não é movida automaticamente. Além disso, a movimentação de uma função é controlada por controles de acesso padrão. Dessa forma, uma corporação deve controlar de perto a localização e a movimentação de funções de mestre de operações. Por exemplo, uma organização com uma presença de informática forte pode colocar a função do esquema em um servidor no grupo de informática e configurar sua lista de controle de acesso (ACL) para que não seja movida.
    As funções do mestre de operações requerem duas formas de gerenciamento: transferência controlada e tomada de controle.
    Use a transferência controlada quando desejar mover uma função de um servidor para outro, talvez para controlar uma alteração de diretiva em relação à localização da função ou à antecipação de um desligamento, movimentação ou rebaixamento de um servidor.
    A tomada de controle é necessária quando um servidor que está mantendo uma função falha e você não tem intenção de restaurá-lo. Mesmo quando um servidor é recuperado de um backup, ele não assume que tem uma função (mesmo se a fita de backup confirmar), pois ele não pode determinar se a função foi transferida de forma legítima para outro servidor no período de tempo transcorrido desde o momento em que o backup foi feito e a falha e recuperação do servidor. O servidor restaurado assume a propriedade da função somente se um quórum de servidores existentes estiver disponível durante a recuperação e todos eles concordarem que o servidor restaurado ainda é o proprietário.
    O submenu Funções no Ntdsutil é usado para executar a transferência e a recuperação controlada de funções de mestre de operações. A transferência controlada é simples e segura. Como os servidores de origem e de destino estão sendo executados, o software do sistema garante que o símbolo da função do mestre de operações e seus dados associados são transferidos atomicamente. A tomada de controle da função do mestre de operações é igualmente simples, mas não é tão segura. Você simplesmente informa a um determinado controlador de domínio que ele é o proprietário de uma determinada função.
    Cuidado

Gerenciamento de contas de segurança

Gerencia identificadores de segurança (SIDs). No prompt security account management:, digite qualquer um dos parâmetros listados em Sintaxe.

Sintaxe

{check duplicate SID|cleanup duplicate SID|connect to server %s|log file %s}

Parâmetros

check duplicate SID

Verifica se há objetos com identificadores de segurança duplicados no domínio.

cleanup duplicate SID

Exclui todos os objetos que têm identificadores de segurança duplicados e registra essas entradas no arquivo de log.

connect to server %s

Conecta-se ao servidor, ao nome NetBIOS ou ao nome de host DNS.

log file %s

Define o arquivo de log como %s. Se um arquivo de log não foi explicitamente definido, o padrão do arquivo de log será Dupsid.log.

%s

Uma variável alfanumérica, como o nome do domínio ou do controlador de domínio.

quit (encerrar)

Leva você de volta ao menu anterior ou sai do utilitário.

? ou help

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Cada conta de segurança (usuários, grupos e computadores) é identificada por um identificador de segurança exclusivo (SID). Use um SID para identificar de forma exclusiva a conta de segurança e para executar verificações de acesso de recursos, como arquivos, diretórios de arquivos, impressoras, caixas de correio do Exchange, bancos de dados do Microsoft SQL Server, objetos armazenados no Active Directory ou dados protegidos pelo modelo de segurança do Windows Server 2003, Standard Edition.
    Um SID é formado por informações de cabeçalho e um conjunto de identificadores exclusivos que identificam o domínio e a conta de segurança. Em um domínio, cada controlador de domínio é capaz de criar contas e emitir para cada conta um identificador de segurança exclusivo. Cada controlador de domínio mantém um pool de identificações relativas que são usadas na criação de identificadores de segurança. Quando 80% do pool de identificações relativas forem consumidos, o controlador de domínio solicita um novo pool de identificadores relativos de um mestre de operações de identificações relativas. Isso garante que o mesmo pool de identificações relativas nunca seja alocado para controladores de domínio diferentes e impede que a alocação de identificadores de segurança duplicados. No entanto, como é possível (mas raro) que um pool de identificações relativas seja alocado, você precisa identificar essas contas que emitiram identificadores de segurança duplicados de forma que possa impedir aplicação não desejada da segurança.
    Uma causa dos pools de identificações relativas duplicados ocorre quando o administrador toma o controle da função de mestre de identificação relativa enquanto o mestre de identificação relativa original está operacional, mas temporariamente desconectado da rede. Normalmente, depois de um ciclo de replicação, a função mestre de identificação relativa é assumida por apenas um controlador de domínio, mas é possível que antes que a propriedade seja resolvida, dois controladores de domínio diferentes solicitem um novo pool de identificações relativas e sejam alocados ao mesmo pool de identificações relativas.

Análise do banco de dados de semântica

Analisa os dados em relação à semântica do Active Directory. No prompt semantic database analysis:, digite qualquer um dos parâmetros listados em Sintaxe.

Sintaxe

{get %d|go|verbose %s}

Parâmetros

get %d

Recupera um número de registro %d de Ntds.dit.

go

Inicia a análise da semântica de Ntds.dit. Um relatório é gerado e gravado em um arquivo chamado Dsdit.dmp.n, no diretório atual, onde n é um inteiro incrementado toda vez que você executar o comando.

verbose %s

Desativa ou ativa o modo detalhado.

%d

Uma variável numérica, como períodos de atraso na replicação.

%s

Uma variável alfanumérica, como o nome do domínio ou do controlador de domínio.

quit (encerrar)

Leva você de volta ao menu anterior ou sai do utilitário.

? ou help

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Ao contrário dos comandos de gerenciamento de arquivos descritos anteriormente, que testam a integridade do banco de dados em relação à semântica do banco de dados ESENT, a análise da semântica analisa os dados em relação à semântica do Active Directory. Ele gera relatórios no número de registros presente, inclusive os registros excluídos e os fantasmas.
    Observação
  • Os usuários finais não devem usar esse comando exceto quando a Microsoft solicitar que eles o usem como uma ajuda para diagnósticos de falhas.

Definir a senha de DSRM

Redefine a senha do modo de restauração dos serviços de diretório (DSRM) em um controlador de domínio. No prompt Reset DSRM Administrator Password:, digite qualquer um dos parâmetros a seguir listados em Sintaxe.

Sintaxe

Reset Password on server %s

Parâmetros

Reset Password on server %s

Solicita uma nova senha DSRM para um controlador de domínio. Use NULL como nome do controlador de domínio para redefinir a senha DSRM no servidor atual. Depois de inserir esse parâmetro, o prompt Please type password for DS Restore Mode Administrator Account: é exibido. Nesse prompt, digite a nova senha DSRM desejada.

%s

Uma variável alfanumérica, como o nome do domínio ou do controlador de domínio.

quit (encerrar)

Leva você de volta ao menu anterior ou sai do utilitário.

? ou help

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • A senha DSRM em um controlador de domínio é inicialmente definida quando o Assistente para instalação do Active Directory (Dcpromo) é executado em um servidor para promovê-lo para um controlador de domínio.
  • Se o controlador de domínio está no modo de restauração de serviços de diretório, você não pode redefinir a senha DSRM em um controlador de domínio usando ntdsutil.

Avaliação de associação de grupo

Os ambientes Windows Server 2003 e Windows 2000 Server que contêm estruturas de grupo complexas podem encontrar dificuldades se houver uma limitação de token de acesso durante a autenticação. Esse problema pode fazer com que o usuário não consiga fazer logon ou acessar recursos.

Está disponível uma versão do Ntdsutil que contém a opção group membership evaluation, que pode ser usada para gerar um relatório. Ao analisar os resultados do relatório, é possível identificar a origem do problema.

A versão do Ntdsutil que inclui a opção group membership evaluation está disponível para download no site da Microsoft. Para baixar a ferramenta e obter informações detalhadas sobre o problema de limitação de token de acesso e como usar a avaliação de associação do grupo no Ntdsutil, consulte o documento sobre problemas gerados pela limitação do token de acesso no site da Microsoft (http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=62237).

Comentários

  • Por padrão, Ntdsutil.exe é instalado na pasta systemroot\System32. Para obter mais informações sobre o Ntdsutil.exe, consulte Usando o Ntdsutil.
  • Se a variável tiver espaços, coloque-a entre parênteses, em vez de entre aspas, como a seguir:
    connect to server (xxx yyy)

***

Ntsd

O Ntsd é incluído como cortesia aos profissionais de desenvolvimento de software. Somente os desenvolvedores de sistemas devem usar este comando. Para obter mais informações, consulte a ajuda incluída com o NTSD.

***********************************************************************************

 “O”

Openfiles

Consulta, exibe ou desconecta arquivos abertos ou arquivos abertos por usuários de rede. Além disso, habilita ou desabilita o sinalizador global Lista de manutenção de objetos.

Para exibir a sintaxe do comando, clique no comando:

openfiles disconnect

Desconecta um ou mais arquivos abertos.

Sintaxe

openfiles /disconnect [/sComputador [/uDomínio\Usuário [/pSenha]]] {[/idIdentificação_do_Arquivo_Aberto] | [/aNome_do_Usuário] | [/oModo_Aberto]} [/opNome_do_Arquivo_Aberto]

Parâmetros

/sComputador

Especifica o nome ou endereço IP de um computador remoto (não use barras invertidas). O padrão é o computador local. Este parâmetro se aplica a todos os arquivos e pastas especificados no comando.

/uDomínio\Usuário

Executa o script com as permissões da conta de usuário especificada. O padrão é permissões do sistema.

/pSenha

Especifica a senha da conta de usuário fornecida no parâmetro /u.

/idIdentificação_do_Arquivo_Aberto

Desconecta o arquivo aberto com a Identificação_do_Arquivo_Aberto numérica especificada no computador definido pelo parâmetro /s. Use openfiles /query para saber qual a identificação do arquivo. O curinga (*) pode ser usado para desconectar todos os arquivos abertos no computador especificado.

/aNome_do_Usuário

Desconecta todos os arquivos abertos pelo valor Nome_do_Usuário. O curinga (*) pode ser usado para desconectar todos os arquivos abertos no computador especificado.

/oModo_Aberto

Desconecta todos os arquivos abertos pelo valor Modo_Aberto. Os valores de Modo_Aberto são Ler, Gravar ou Ler/Gravar. O curinga (*) pode ser usado para desconectar todos os arquivos abertos no computador especificado.

/opNome_do_Arquivo_Aberto

Desconecta todas as conexões de arquivo abertos criados por um nome de Arquivo_Aberto específico. O curinga (*) pode ser usado para desconectar todos os arquivos abertos no computador especificado.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Usando as opções de linha de comando /s, /u e /p. As opções de linha de comando /u e /p estão disponíveis apenas quando você usa /s. É necessário utilizar /p com /u para fornecer a senha do usuário.

Exemplos

Os exemplos a seguir mostram como você pode usar o comando openfiles /disconnect:

Copiar Código

openfiles /disconnect /id 1 openfiles /disconnect /a hiropln openfiles /disconnect /o read/write openfiles /disconnect /op "c:\my documents\somedoc.doc" openfiles /disconnect /session machine /id 5 openfiles /disconnect /s srvmain /u maindom\hiropln /id 5 openfiles /disconnect /s srvmain /u maindom\hiropln /p p@ssW23 /id *

openfiles query

Consulta e exibe todos os arquivos abertos.

Sintaxe

openfiles /query [/sComputador [/uDomínio\Usuário [/pSenha]]] [/fo {TABLE | LIST | CSV}] [/nh] [/v]

Parâmetros

/sComputador

Especifica o nome ou endereço IP de um computador remoto (não use barras invertidas). O padrão é o computador local. Este parâmetro se aplica a todos os arquivos e pastas especificados no comando.

/uDomínio\Usuário

Executa o script com as permissões da conta de usuário especificada. O padrão é permissões do sistema.

/pSenha

Especifica a senha da conta de usuário que é fornecida no parâmetro /u.

/fo formato

Especifica o formato de saída com um dos seguintes valores:

 

Valor  Descrição 
TABLE Exibe a saída em uma tabela.
LIST Exibe a saída em uma lista.
CSV Exibe a saída no formato CSV.

/nh

Suprime o cabeçalho de coluna nos dados de saída. Válido somente quando o parâmetro /fo é definido como TABLE ou CSV.

/v

Especifica que as informações detalhadas sejam exibidas na saída.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Usando as opções de linha de comando /s, /u e /p. As opções de linha de comando /u e /p estão disponíveis apenas quando você usa /s. É necessário utilizar /p com /u para fornecer a senha do usuário.

Exemplos

Os exemplos a seguir mostram como você pode usar o comando openfiles /query:

Copiar Código

openfiles /query openfiles /query /fo table /nh openfiles /query /fo list /v openfiles /query /s srvmain /u maindom\hiropln /p p@ssW23

openfiles local

Habilita ou desabilita o sinalizador global Lista de manutenção de objetos do sistema.

Sintaxe

openfiles /local [{on | off}]

Parâmetros

{on | off}

Habilita ou desabilita o sinalizador global Lista de Manutenção de Objetos do sistema, que controla as manipulações do arquivo local. As alterações feitas por esta opção serão aplicadas somente depois da reinicialização do sistema.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Habilitar o sinalizador global Lista de manutenção de objetos pode prejudicar o desempenho do sistema.

Exemplos

Para verificar o status atual do sinalizador global Lista de manutenção de objetos, digite:

openfiles /local

Para habilitar o sinalizador global Lista de manutenção de objetos, digite:

openfiles /local on

Para desabilitar o sinalizador global Lista de manutenção de objetos, digite:

openfiles /local off

***********************************************************************************

 “P”

Pagefileconfig.vbs

Permite que um administrador exiba e configure as definições da memória virtual de um arquivo de paginação do sistema.

Para exibir a sintaxe do comando, clique no comando:

pagefileconfig change

Altera as definições da memória virtual de um arquivo de paginação existente.

Sintaxe

pagefileconfig[.vbs] /change [/s Computador [/u Domínio\Usuário [/p Senha]]] {[/I Tamanho_Inicial_do_Arquivo_de_Paginação] | [/m Tamanho_Máximo_do_Arquivo_de_Paginação]} /vo {Letra_do_Volume | *}[/vo {Letra_do_Volume_2 | *} […]]

Parâmetros

/sComputador

Especifica o nome ou endereço IP de um computador remoto (não use barras invertidas). O padrão é o computador local.

/uDomínio\Usuário

Executa o script com as permissões de conta do usuário especificado por Usuário ou Domínio\Usuário. O padrão são as permissões do usuário conectado no momento no computador que emite o comando.

/pSenha

Especifica a senha da conta de usuário que é fornecida no parâmetro /u.

/iTamanho_Inicial_do_Arquivo_de_Paginação

Especifica o novo tamanho inicial (em MB) a ser usado no arquivo de paginação especificado.

/mTamanho_Máximo_do_Arquivo_de_Paginação

Especifica o novo tamanho máximo (em MB) a ser usado no arquivo de paginação especificado.

/vo {Letra_do_Volume|*}

Especifica o volume ou volumes com as configurações de arquivo de paginação a serem alteradas. O volume é especificado por uma letra seguida de dois-pontos (por exemplo, “C:”).

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Exemplos

Os exemplos a seguir mostram como você pode usar o comando pagefileconfig /change:

pagefileconfig.vbs /change /m 400 /vo c:

pagefileconfig.vbs /change /s srvmain /u maindom\hiropln /m 400 /vo c:

pagefileconfig.vbs /change /s srvmain /u maindom\hiropln /i 20 /vo *

pagefileconfig.vbs /change /s srvmain /u maindom\hiropln /p p@ssW23 /i 200 /m 500 /vo c: /vo d: 

pagefileconfig create

Cria ou adiciona um arquivo de paginação ao sistema.

Sintaxe

pagefileconfig.vbs/create [/s Computador [/u Domínio\Usuário [/p Senha]]] /I Tamanho_Inicial_do_Arquivo_de_Paginação/m Tamanho_Máximo_do_Arquivo_de_Paginação/vo {Letra_do_Volume | *}[/vo {Letra_do_Volume2 | *} […]]

Parâmetros

/sComputador

Especifica o nome ou endereço IP de um computador remoto (não use barras invertidas). O padrão é o computador local.

/uDomínio\Usuário

Executa o script com as permissões de conta do usuário especificado por Usuário ou Domínio\Usuário. O padrão são as permissões do usuário conectado no momento no computador que emite o comando.

/pSenha

Especifica a senha da conta de usuário que é fornecida no parâmetro /u.

/iTamanho_Inicial_do_Arquivo_de_Paginação

Especifica o novo tamanho inicial (em MB) a ser usado no arquivo de paginação especificado.

/mTamanho_Máximo_do_Arquivo_de_Paginação

Especifica o novo tamanho máximo (em MB) a ser usado no arquivo de paginação especificado.

/vo {Letra_do_Volume|*}

Especifica o volume ou volumes com as configurações de arquivo de paginação a serem criadas. O volume é especificado por uma letra seguida de dois-pontos (por exemplo, “C:”).

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Exemplos

Os exemplos a seguir mostram como você pode usar o comando pagefileconfig /create:

pagefileconfig.vbs /create /i 140 /m 300 /vo d:

pagefileconfig.vbs /create /s srvmain /u maindom\hiropln /i 150 /m 300 /vo d:

pagefileconfig.vbs /create /s srvmain /u maindom\hiropln /i 50 /m 200 /vo *

pagefileconfig.vbs /create /s srvmain /u maindom\hiropln /p p@ssW23 /i 100 /m 600 /vo d: /vo e: /vo f: 

pagefileconfig delete

Exclui um arquivo de paginação do sistema.

Sintaxe

pagefileconfig.vbs/delete [/s Computador [/u Domínio\Usuário [/p Senha]]] /vo {Letra_do_Volume | *} [/vo {Letra_do_Volume2 | *} […]]

Parâmetros

/sComputador

Especifica o nome ou endereço IP de um computador remoto (não use barras invertidas). O padrão é o computador local.

/uDomínio\Usuário

Executa o script com as permissões de conta do usuário especificado por Usuário ou Domínio\Usuário. O padrão são as permissões do usuário conectado no momento no computador que emite o comando.

/pSenha

Especifica a senha da conta de usuário que é fornecida no parâmetro /u.

/vo {Letra_do_Volume|*}

Especifica o volume ou volumes com as configurações de arquivo de paginação a serem excluídas. O volume é especificado por uma letra seguida de dois-pontos (por exemplo, “C:”).

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Exemplos

Os exemplos a seguir mostram como você pode usar o comando pagefileconfig /delete:

pagefileconfig.vbs /delete /vo d:

pagefileconfig.vbs /delete /s srvmain /u maindom\hiropln /vo d:

pagefileconfig.vbs /delete /s srvmain /u maindom\hiropln /p p@ssW23 /vo d: /vo e: /vo f: 

pagefileconfig query

Consulta e exibe as definições da memória virtual de um arquivo de paginação do sistema.

pagefileconfig.vbs/query [/s Computador [/u Domínio\Usuário [/p Senha]]] [/fo {TABLE | LIST | CSV}]

Parâmetros

/sComputador

Especifica o nome ou endereço IP de um computador remoto (não use barras invertidas). O padrão é o computador local.

/uDomínio\Usuário

Executa o script com as permissões de conta do usuário especificado por Usuário ou Domínio\Usuário. O padrão são as permissões do usuário conectado no momento no computador que emite o comando.

/pSenha

Especifica a senha da conta de usuário que é fornecida no parâmetro /u.

/fo {TABLE| LIST| CSV}

Especifica o formato a ser utilizado no resultado da consulta.. Os valores válidos são TABLE, LIST e CSV. O valor padrão é LIST.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Exemplos

Os exemplos a seguir mostram como você pode usar o comando pagefileconfig /query:

pagefileconfig.vbs /query

pagefileconfig.vbs /query /fo table

pagefileconfig.vbs /query /s srvmain /u maindom\hiropln

pagefileconfig.vbs /query /s srvmain /u maindom\hiropln /p p@ssW23 /fo list 

Comentários

  • O tamanho máximo do arquivo de paginação limita-se ao espaço livre existente no disco menos a configuração de recuperação do despejo de memória relativa à unidade de inicialização.

***

Patch

Caminho

Define o caminho de comando, na variável de ambiente PATH, que reúne o conjunto de pastas usadas para localizar os arquivos executáveis. Utilizado sem parâmetros, path exibe o caminho de comando atual.

Sintaxe

Path [[%path%] [Unidade:]Caminho [;…]]

Parâmetros

[Unidade:]Caminho

Especifica a unidade e a pasta a serem definidas no caminho de comando.

;

Separa as pastas no caminho de comando.

%path%

Anexa o caminho de comando ao conjunto de diretórios existentes listados na variável de ambiente PATH.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Quando usado como parâmetro único, o ; exclui o valor do caminho de comando existente encontrado na variável PATH.
  • Quando você inclui %path% na sintaxe, o Cmd.exe o substitui pelo caminho de comando encontrado na variável PATH, eliminando a necessidade de inserir manualmente esses valores na linha de comando. Para obter mais informações sobre a substituição dos valores das variáveis de ambiente, consulte a visão geral sobre o shell de comandos em <b>Tópicos Relacionados</b>.
  • O diretório atual é sempre o primeiro a ser pesquisado, antes dos diretórios no caminho do comando.
  • É possível que haja, na mesma pasta, arquivos com o mesmo nome, mas extensões diferentes. Por exemplo, você pode ter o arquivo Conta.com que inicia um programa de contabilidade e outro arquivo Conta.bat que faz a conexão do servidor com a rede do sistema de contas.
    A família Windows Server 2003 tenta localizar um arquivo usando as extensões de nome de arquivo padrão na seguinte ordem de precedência: .exe, .com, .bat e .cmd. Para executar Conta.bat, caso exista Conta.com na mesma pasta, inclua a extensão .bat na linha de comando.
  • Se houver dois ou mais arquivos no caminho de comando com o mesmo nome de arquivo e extensão, a família Windows Server 2003 tenta localizar o nome do arquivo especificado primeiro no diretório atual e, em seguida, nos diretórios do caminho de comando na ordem em que estiverem listados em PATH.
  • Se você incluir o comando path no arquivo Autoexec.nt, a família Windows Server 2003 acrescentará automaticamente o caminho de pesquisa do subsistema MS-DOS especificado toda vez que você fizer logon em seu computador. O Cmd.exe não utiliza o arquivo Autoexec.nt. Quando iniciado a partir de um atalho, Cmd.exe herda as variáveis de ambiente definidas em Meu computador/Propriedades/Avançadas/Ambiente.

Exemplos

Os comandos a seguir pesquisam três diretórios para localizar comandos externos. Os três caminhos para essas pastas são C:\Usuario\Impostos, B:\Usuario\Invest e B:\Bin:

path c:\user\taxes;b:\user\invest;b:\bin

***

Pathping

Fornece informações sobre latência de rede e perda de rede em saltos intermediários entre a origem e o destino. O comando Pathping envia várias mensagens de Solicitação de Eco a cada roteador entre a origem e o destino por um período de tempo e, em seguida, calcula os resultados com base nos pacotes retornados de cada roteador. Como pathping exibe o grau de perda de pacotes de cada roteador ou vínculo fornecido, é possível determinar quais roteadores ou sub-redes podem estar enfrentando problemas na rede. O comando pathping executa um trabalho equivalente ao do comando tracert, identificando os roteadores que estão no caminho. Ele envia pings periodicamente a todos os roteadores durante determinado intervalo de tempo e calcula as estatísticas com base no número respondido por cada um. Quando usado sem parâmetros, pathping exibe a ajuda.

Sintaxe

pathping [-n] [-h Máximo_de_Saltos] [-g Lista_de_Hosts] [-p Período] [-q Número_de_Consultas[-w Tempo_Limite] [-i Endereço_IP] [-4 IPv4] [-6 IPv6][Nome_de_Destino]

Parâmetros

-n

Impede que pathping tente resolver os endereços IP de rotas intermediárias até seus nomes. Isso pode agilizar a exibição dos resultados de pathping.

-hMáximo_de_Saltos

Especifica o número máximo de saltos no caminho de pesquisa até o destino. O padrão é de 30 saltos.

-gLista_de_Hosts

Especifica que as mensagens de solicitação de eco usem a opção Roteamento de Origem Flexível no cabeçalho IP com o conjunto de destinos intermediários especificado em Lista_de_Hosts. Com o roteamento ampliado de origens, os destinos intermediários sucessivos podem ser separados por um ou vários roteadores. O número máximo de endereços ou nomes na lista de hosts é 9. A Lista_de_Hosts é uma seqüência de endereços IP (em notação decimal pontilhada) separados por espaços.

-pPeríodo

Especifica o número de milissegundos de espera entre pings consecutivos. O padrão é de 250 milissegundos (1/4 segundo).

-qNúmero_de_Consultas

Especifica o número de mensagens de solicitação de eco enviadas a cada roteador no caminho. O valor padrão é 100 consultas.

-w Tempo_Limite

Especifica o número de milissegundos de espera de cada resposta. O padrão é de 3.000 milissegundos (3 segundos).

-i Endereço_IP

Especifica o endereço de origem.

-4 IPv4

Especifica que pathping use IPv4 somente.

-6 IPv6

Especifica que pathping use IPv6 somente.

nome_do_destino

Especifica o destino, que é identificado tanto pelo endereço IP como pelo nome do host.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Os parâmetros do pathping diferenciam maiúsculas de minúsculas.
  • Para evitar congestionamento na rede, os pings devem ser enviados a uma freqüência suficientemente lenta.
  • Para minimizar os efeitos de perdas intermitentes, não envie pings com muita freqüência.
  • Quando o parâmetro -p é utilizado, os pings são enviados individualmente para cada salto intermediário. Em conseqüência disso, o intervalo entre dois pings enviados para o mesmo salto corresponde ao período multiplicado pelo número de saltos.
  • Quando o parâmetro -w é utilizado, vários pings podem ser enviados simultaneamente. Em conseqüência disso, o tempo especificado no parâmetro Tempo_Limite não é limitado pelo tempo especificado no parâmetro Período de espera entre pings.
  • Este comando só estará disponível se o Protocolo TCP/IP estiver instalado como um componente nas propriedades de um adaptador de rede em Conexões de Rede.

Exemplos

O exemplo a seguir mostra os dados de saída do comando pathping:

Copiar Código

D:\>pathping -n corp1
 
 
 
Rota de rastreamento para corp1 [10.54.1.196] acima do máximo de 30 saltos: 0  172.16.87.35 1  172.16.87.218 2  192.168.52.1 3  192.168.80.1 4  10.54.247.14 5  10.54.1.196
 
 
 
Computando estatísticas por 125 segundos... Origem até aqui   Este nó/Link Salto  RTT    Perd./Env.= Pct  Perd./Env. = Pct  Endereço 0                                           172.16.87.35 0/ 100 =  0%   | 1   41ms     0/ 100 =  0%     0/ 100 =  0%  172.16.87.218 13/ 100 = 13%   | 2   22ms    16/ 100 = 16%     3/ 100 =  3%  192.168.52.1 0/ 100 =  0%   | 3   24ms    13/ 100 = 13%     0/ 100 =  0%  192.168.80.1 0/ 100 =  0%   | 4   21ms    14/ 100 = 14%     1/ 100 =  1%  10.54.247.14 0/ 100 =  0%   | 5   24ms    13/ 100 = 13%     0/ 100 =  0%  10.54.1.196
 
 
 
Rastreamento concluído.

Quando o comando pathping é executado, os primeiros resultados listam o caminho. Esse é o mesmo caminho mostrado pelo comando tracert. Em seguida, é exibida uma mensagem de ocupado por aproximadamente 90 segundos (o tempo varia por contagem de salto). Durante esse tempo, são reunidas informações de todos os roteadores anteriormente listados e dos vínculos entre eles. Ao final do período, são exibidos os resultados do teste.

No exemplo de relatório acima, as colunas Este Nó/Link, Perd./Env. = Pct e Endereço mostram que o vínculo entre 172.16.87.218 e 192.168.52.1 está perdendo 13% dos pacotes. Os roteadores nos saltos 2 e 4 também estão perdendo pacotes endereçados a eles, mas essa perda não afeta sua capacidade de encaminhar o tráfego não endereçado a eles.

As taxas de perda exibidas para os links, identificadas como uma barra vertical ( | ) na coluna Endereço, indicam congestionamento de links, causando a perda dos pacotes que estão sendo encaminhados ao longo do caminho. As taxas de perda exibidas para os roteadores (indicados pelos endereços IP) indicam que esses roteadores podem estar sobrecarregados.

***

Pause

Suspende o processamento de um arquivo em lotes e exibe uma mensagem solicitando ao usuário para pressionar qualquer tecla para continuar.

Sintaxe

pause

Parâmetros

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Quando você executa o comando prompt, é exibida a seguinte mensagem:

Copiar Código

Pressione qualquer tecla para continuar. . .           
  • Se você pressionar CTRL+C para interromper um programa em lotes, é exibida a seguinte mensagem:

Copiar Código

Finalizar o trabalho em lotes (S/N)?           

Se você pressionar S (para sim) em resposta a essa mensagem, o programa em lotes será finalizado e o controle retornará ao sistema operacional. Portanto, é possível inserir o comando pause antes de uma seção do arquivo em lotes que você não deseja processar. Enquanto pause suspende o processamento do programa em lotes, você pode pressionar CTRL+C e, em seguida, Y para interromper o programa.

Exemplos

Para criar um programa em lotes que emita uma mensagem solicitando ao usuário para trocar o disco em uma das unidades, digite:

Copiar Código

@echo off :begin copy a:*.* echo Coloque um novo disco na unidade A pause goto begin       

Nesse exemplo, todos os arquivos do disco na unidade A são copiados para a pasta atual. Depois que a mensagem solicita a inserção de outro disco na unidade A, o comando pause suspende o processamento para que você troque os discos e, em seguida, pressione qualquer tecla para dar continuidade ao processamento. Este programa em lotes, especificamente, executa um loop sem fim. O comando goto BEGIN envia o interpretador de comandos para o início do arquivo em lotes. Para finalizar este programa em lotes, pressione CTRL+C e, em seguida, Y.

***

Pbadmin

Administra catálogos telefônicos. Quando usado sem parâmetros, pbadmin inicia o Administrador de Catálogo Telefônico. Este conteúdo não está disponível neste lançamento preliminar. Este conteúdo não está disponível neste lançamento preliminar.

Sintaxe

pbadmin.exe /NNome_do_Catálogo_Telefônico [/RCaminho_do_Arquivo_de_Região\Nome_do_Caminho_de_Região] [/PCaminho_do_Arquivo_de_Dados\Nome_do_Arquivo_de_Dados]

pbadmin.exe /INome_do_Catálogo_Telefônico/RCaminho_do_Arquivo_de_Região\Nome_do_Caminho_de_Região

pbadmin.exe /INome_do_Catálogo_Telefônico/PCaminho_do_Arquivo_de_Dados\Nome_do_Arquivo_de_Dados

pbadmin.exe /ONome_do_Catálogo_Telefônico Nome_do_Servidor Nome_do_Usuário Senha

pbadmin.exe /BNome_do_Catálogo_Telefônico

Parâmetros

/NNome_do_Catálogo_Telefônico

Cria um catálogo telefônico (.mdb). O parâmetro Nome_do_Catálogo_Telefônico especifica o nome do arquivo a ser criado.

/I Nome_do_Catálogo_Telefônico

Importa dados para um catálogo telefônico (.mdb) de um arquivo (.txt) de região ou de um arquivo (.pbk ou .txt) de catálogo telefônico. O parâmetro Nome_do_Catálogo_Telefônico especifica o catálogo telefônico para o qual você deseja importar dados. Você deve utilizar o parâmetro /R ou /P em conjunto com o parâmetro /I.

/RCaminho_do_Arquivo_de_Região\Nome_do_Arquivo_de_Região

Especifica a localização e o nome do arquivo de região que você deseja importar para um catálogo telefônico.

/PCaminho_do_Arquivo_de_Dados\Nome_do_Arquivo_de_Dados

Especifica a localização e o nome do arquivo (.pbk ou .txt) de catálogo telefônico que você deseja importar para um catálogo telefônico.

/ONome_do_Catálogo_Telefônico Nome_do_Servidor Nome_do_Usuário Senha

Configura opções para um catálogo telefônico. O parâmetro Nome_do_Catálogo_Telefônico especifica o nome do catálogo telefônico cujas opções você deseja definir. O parâmetro Nome_do_Servidor especifica o nome do servidor no qual o catálogo telefônico será publicado. O parâmetro Nome_do_Usuário especifica uma conta de usuário com permissões de FTP no servidor Serviço de Catálogo Telefônico (PBS). O parâmetro senha especifica a senha da conta de usuário no servidor PBS.

/BNome_do_Catálogo_Telefônico

Publica um catálogo telefônico. O parâmetro Nome_do_Catálogo_Telefônico especifica o nome do catálogo telefônico a ser publicado. Antes de usar o parâmetro /B, você deve configurar o catálogo telefônico com o parâmetro /O.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Para criar um catálogo telefônico (.mdb), use a seguinte sintaxe:
    pbadmin.exe /NNome_do_Catálogo_Telefônico [/RCaminho_do_Arquivo_de_Região\Nome_do_Caminho_de_Região] [/PCaminho_do_Arquivo_de_Dados\Nome_do_Arquivo_de_Dados]
  • Para importar dados para um catálogo telefônico a partir de um arquivo de região, use a seguinte sintaxe:
    pbadmin.exe /INome_do_Catálogo_Telefônico/RCaminho_do_Arquivo_de_Região\Nome_do_Caminho_de_Região
  • Para importar dados para um catálogo telefônico a partir de um arquivo (.pbk) de catálogo telefônico ou de um arquivo texto (.txt) corretamente formatado, use a seguinte sintaxe:
    pbadmin.exe /INome_do_Catálogo_Telefônico/PCaminho_do_Arquivo_de_Dados\Nome_do_Arquivo_de_Dados
  • Para configurar as opções de publicação de um catálogo telefônico, use a seguinte sintaxe:
    pbadmin.exe /ONome_do_Catálogo_Telefônico Nome_do_Servidor Nome_do_Usuário Senha
  • Para publicar um catálogo telefônico, use a seguinte sintaxe:
    pbadmin.exe /BNome_do_Catálogo_Telefônico
  • No pbadmin, o termo “catálogo telefônico” refere-se a um catálogo telefônico (.mdb) e o termo “arquivo de catálogo telefônico” refere-se a um arquivo de catálogo telefônico (.pbk).
  • Os parâmetros de linha de comando diferenciam maiúsculas de minúsculas.
  • Um nome de catálogo telefônico não pode ter mais de oito caracteres, não pode ter somente dígitos e não deve conter espaços nem os seguintes símbolos: ! , ; * = / \ : ? ‘ ” < > | . & % {} [] @ ( ) ´ ` ~
  • Se você especificar um caminho, este deve ser completo. Você não pode usar espaços no caminho do catálogo telefônico, do arquivo de catálogo telefônico nem do arquivo de região.
  • Para usar o comando pbadmin, você deve instalar o Administrador de Catálogo Telefônico e, em seguida, digitar o comando a partir da pasta do Administrador. Para instalar o Administrador de Catálogo Telefônico, insira o CD de instalação do Windows XP Professional ou da família Windows Server 2003 na unidade de CD-ROM e clique em Examinar este CD. Abra a pasta VALUEADD, a pasta MSFT, a pasta MGMT e a pasta PBA. Clique duas vezes em PBAINST e siga as instruções na tela.

Observação

  • No CD do Windows Server 2003 SP1, o Administrador de Catálogo Telefônico está localizado na pasta SUPPORT. Abra a pasta SUPPORT no CD, abra a pasta MSFT, abra a pasta MGMT e também a pasta PBA. Clique duas vezes em PBAINST e siga as instruções na tela.

Exemplos

Nos exemplos abaixo, são usados dados fictícios.

Para criar um catálogo telefônico denominado Lista, digite:

Pbadmin.exe /N Lista

Para importar dados para um catálogo telefônico denominado Lista de um arquivo de região denominado Zona1.txt localizado na pasta C:\Temp, digite:

pbadmin.exe /I Lista /R C:\Temp\Zona1.txt

Para configurar um arquivo de catálogo telefônico com o nome: Lista; nome de servidor: Castro; nome de usuário: asoares; e senha: minhasenha; digite:

pbadmin.exe /O Lista Castro asoares minhasenha

Para publicar um catálogo telefônico denominado Lista, digite:

pbadmin.exe /B Lista

***

Pentnt

Detecta erro de divisão com ponto flutuante (se presente) em chip Pentium, desativa o hardware de ponto flutuante e ativa a emulação de ponto flutuante.

Sintaxe

pentnt [-c] [-f] [-o]

Parâmetros

-c

Ativa a emulação condicional.

-f

Ativa a emulação forçada.

-o

Desativa a emulação forçada e reativa o hardware de ponto flutuante, se presente.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Os parâmetros usados com este comando devem ser antecedidos de (hífen) e não de / (barra).
  • Usando a opção de linha de comando -c
    A emulação de ponto flutuante será forçada somente se o sistema detectar erro de divisão com ponto flutuante no processador Pentium durante a inicialização. Se você selecionar este parâmetro, deverá reinicializar o computador para que as alterações sejam efetuadas.
  • Usando a opção de linha de comando -f. O hardware de ponto flutuante será desabilitado e a emulação de ponto flutuante será sempre forçada, independentemente do sistema apresentar erro de divisão com ponto flutuante no processador Pentium. Este parâmetro é útil para testar emuladores de software e para evitar problemas de hardware do modo ponto flutuante conhecidos pelo sistema operacional. Se você selecionar este parâmetro, deverá reinicializar o computador para que as alterações sejam efetuadas.
  • Usando a opção de linha de comando -o. Se você selecionar este parâmetro, deverá reinicializar o computador para que as alterações sejam efetuadas.

 

***

Perfmon

Permite que você abra o console <b>Desempenho</b> configurado com o controle ActiveX do <b>Monitor do sistema</b> e o snap-in <b>Serviço de logs e alertas de desempenho</b>.

Sintaxe

perfmon.exe [Nome_do_Arquivo] [/HTMLFILE:Arquivo_Convertido Arquivo_de_Configurações]

Parâmetros

.exe

Especifica o nome da extensão do arquivo.

NomeDoArquivo

Especifica o nome do arquivo de configurações.

/HTMLFILE:Arquivo_Convertido Arquivo_de_Configurações

Especifica o nome dos arquivos convertidos e o nome do arquivo de configurações original do Windows NT 4.0.

Comentários

  • Este procedimento funciona para os seguintes tipos de arquivos de configurações do <b>Monitor de desempenho</b> do Windows NT 4.0: gráfico (.pmc), relatório (.pmr), alerta (.pma) e log (.pml).
  • Para exibir o arquivo de configurações do Windows NT 4.0 no Monitor do Sistema, o sistema converte o arquivo temporariamente para usá-lo com o Monitor do Sistema do Windows XP e da família Windows Server 2003 e, em seguida, descarta a versão convertida quando o console é iniciado. Se você desejar salvar o arquivo de configurações para uso permanente com o <b>Monitor do sistema</b>, digite:
    Perfmon [Nome_do_Arquivo] [/HTMLFILE:Arquivo_Convertido Arquivo_de_Configurações]
    onde /HTMLFILE:Arquivo_Convertido é o nome dado ao arquivo convertido e Arquivo_de_Configurações é o nome do arquivo de configurações original do Windows NT 4.0.
  • Para obter mais informações sobre como incorporar Perfmon aos scripts do WMI, consulte “Scripting WMI” no site Microsoft Windows Resource Kits.

Exemplos

Para listar seu arquivo de configurações, digite:

Perfmon myfile_overview

Para listar os nomes do arquivo convertido e original, digite:

Perfmon myfile_overview /Commands:newfile_review oldfile_sample.pml

***

Ping

Verifica a conectividade de nível IP com outro computador TCP/IP através do envio de mensagens de solicitação de eco de protocolo ICMP. A confirmação das mensagens de resposta é exibida juntamente com o tempo de ida e volta. <b>Ping</b> é o principal comando TCP/IP usado para resolver problemas de conectividade, acesso e resolução de nomes. Usado sem parâmetros, ping exibe a ajuda.

Sintaxe

ping[-t] [-a] [-nContagem] [-l Tamanho] [-f] [-iTTL] [-vTOS] [-rContagem] [-sQuantidade] [{-jListaDeHosts | -k ListaDeHosts}] [-wTempoLimite] [-R] [-SEndOrig] [-4] [-6] NomeDoDestino

Parâmetros

-t

Especifica que o <b>ping</b> continue enviando mensagens de solicitação de eco ao destino até que seja interrompido. Para interromper e exibir estatísticas, pressione CTRL+BREAK. Para interromper e sair do ping, pressione CTRL+C.

-a

Especifica que a resolução inversa de nome seja realizada no endereço IP de destino. Se for bem-sucedida, o <b>ping</b> exibirá o nome do host correspondente.

-nquantidade

Determina o número de solicitações de eco enviadas. O padrão é 4.

-lTamanho

Especifica o comprimento, em bytes, do campo de dados nas solicitações de eco enviadas. O padrão é 32. O Tamanho máximo é 65.527.

-f

Especifica que as mensagens de solicitação de eco são enviadas com o sinalizador Não fragmentar no cabeçalho IP definido como 1 (disponível somente no IPv4). A mensagem de solicitação de eco não pode ser fragmentada por roteadores no caminho para o destino. Este parâmetro é útil para resolver problemas relacionados à unidade máxima de transmissão do caminho (PMTU).

-i TTL

Especifica o valor do campo TTL no cabeçalho IP das solicitações de eco enviadas. O padrão é o valor padrão do TTL do host. O TTL máximo é 255.

-vTOS

Especifica o valor do campo Tipo de serviço (TOS) no cabeçalho IP das mensagens de solicitações de eco enviadas (disponíveis somente no IPv4). O padrão é 0. TOS é especificado como um valor decimal de 0 a 255.

-rcontagem

Especifica que a opção Rota de registro no cabeçalho IP seja usada para gravar o caminho usado pela solicitação de eco e pela resposta de eco correspondente (disponível somente em IPv4). Cada salto no caminho utiliza uma entrada na opção Rota de registro. Se possível, especifique uma contagem que seja igual ou superior ao número de saltos entre a origem e o destino. A contagem deve ser no mínimo 1 e no máximo 9.

-scontagem

Especifica que a opção <b>Carimbo de data/hora</b> da Internet no cabeçalho IP seja utilizada para gravar a hora de chegada da solicitação de eco e da resposta de eco correspondente para cada salto. A Contagem deve ser de no mínimo 1 e no máximo 4. Isso é necessário para endereços de destino de links locais.

-jlista_de_hosts

Especifica que as solicitações de eco utilizem a opção Rota ampliada de origens no cabeçalho IP com o conjunto de destinos intermediários especificado em lista_de_hosts (disponível em IPv4 somente). Como o roteamento ampliado de origens, os destinos intermediários sucessivos podem ser separados por um ou vários roteadores. O número máximo de endereços ou nomes na lista de hosts é 9. A lista de hosts é uma seqüência de endereços IP (em notação decimal com ponto) separados por espaços.

-klista_de_hosts

Especifica que as solicitações de eco utilizem a opção Rota restrita de origens no cabeçalho IP com o conjunto de destinos intermediários especificado em lista_de_hosts (disponível em IPv4 somente). Com o roteamento restrito de origens, o destino intermediário seguinte deve ser diretamente acessível (é preciso ser um vizinho em uma interface do roteador). O número máximo de endereços ou nomes na lista de hosts é 9. A lista de hosts é uma seqüência de endereços IP (em notação decimal com ponto) separados por espaços.

-wTempoLimite

Especifica o intervalo de tempo, em milissegundos, para aguardar a resposta de eco correspondente a determinada solicitação de eco a ser recebida. Se a resposta de eco não for recebida dentro do tempo limite, será exibida a mensagem de erro “Esgotado o tempo limite da solicitação”. O tempo limite padrão é 4000 (4 segundos).

-R

Especifica que o caminho completo é rastreado (disponível somente em IPv6).

-SEndOrig

Especifica o endereço de origem a ser usado (disponível somente em IPv6).

-4

Especifica que IPv4 é usado para efetuar ping. Este parâmetro não é necessário para identificar o host de destino com um endereço IPv4. Ele só é necessário para identificar o host de destino pelo nome.

-6

Especifica que IPv6 é usado para efetuar ping. Este parâmetro não é necessário para identificar o host de destino com um endereço IPv6. Ele só é necessário para identificar o host de destino pelo nome.

nome_do_destino

Especifica o nome ou o endereço IP do host de destino.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Você pode utilizar ping para testar tanto o nome do computador quanto seu endereço IP. Se o teste do endereço IP for bem-sucedido, mas o teste do nome do computador, não, pode haver um problema de resolução de nome. Nesse caso, certifique-se de que o nome do computador que está sendo especificado possa ser resolvido através do arquivo de hosts locais usando consultas DNS ou através de técnicas de resolução de nomes NetBIOS.
  • Este comando só estará disponível se o protocolo Internet (TCP/IP) estiver instalado como um componente nas propriedades de um adaptador de rede em Conexões de rede.

Exemplos

O exemplo a seguir mostra os dados de saída do comando ping:

C:\>ping example.microsoft.com

Pinging example.microsoft.com [192.168.239.132] with 32 bytes of data:

Reply from 192.168.239.132: bytes=32 time=101ms TTL=124

Reply from 192.168.239.132: bytes=32 time=100ms TTL=124

Reply from 192.168.239.132: bytes=32 time=120ms TTL=124

Reply from 192.168.239.132: bytes=32 time=120ms TTL=124

Para executar o <b>ping</b> no destino 10.0.99.221 e resolver 10.0.99.221 para seu nome de host, digite:

ping -a 10.0.99.221

Para executar o <b>ping</b> no destino 10.0.99.221 com 10 solicitações de eco, cada uma com um campo de dados de 1000 bytes, digite:

ping -n 10 -l 1000 10.0.99.221

Para executar o <b>ping</b> no destino 10.0.99.221 e gravar a rota com 4 saltos, digite:

ping -r 4 10.0.99.221

Para executar o <b>ping</b> no destino 10.0.99.221 e especificar a rota ampliada de origens 10.12.0.1-10.29.3.1-10.1.44.1, digite:

ping -j 10.12.0.1 10.29.3.1 10.1.44.1 10.0.99.221

***

Popd – Não encontrado

***

Powercfg

Permite que um administrador controle as configurações de alimentação em um sistema.

Sintaxe

powercfg [/list] [/query [Nome]] [/createName] [/deleteName] [/setactiveName] [/changeSettings] [/hibernate [{on | off}]] [/exportName [/file Nome_do_Arquivo]] [/import Nome [/file Nome_do_Arquivo]] [/numerical] [/globalpowerflag {on | off} /option:{batteryicon | multibattery | resumepassword | wakeonring | videodim}] [/availablesleepstates] [/batteryalarm {low | critical}]

Parâmetros

/list

Lista os nomes dos esquemas de alimentação existentes. Você pode usar a versão abreviada deste comando, /l. Use esses parâmetros para exibir uma lista de todos os esquemas de energia existentes disponíveis no computador. A mesma lista está disponível na guia Esquemas de Energia da ferramenta Opções de Energia no Painel de Controle. Por exemplo, se você usar o parâmetro /list, o esquema padrão a seguir é exibido:

  • Doméstico/Empresarial
  • Portátil/Laptop
  • Apresentação
  • Sempre ligado
  • Desempenho e energia do processador de balanceamento de servidor
  • Máx. de bateria

Se outros esquemas foram adicionados ao computador, eles serão exibidos na lista.

/query [Nome]

Exibe a configuração do esquema de alimentação especificado. Se nenhum nome for especificado, a configuração do esquema de alimentação ativo no momento é exibida. Você pode usar a versão abreviada deste comando, /q. As configurações sempre são exibidas em minutos. Se desejar configurar a configuração para duas horas, insira 120 minutos. Você pode usar o comando powercfg /query número/numerical para consultar os esquemas pelo número em vez do nome. Os resultados serão os mesmos. A lista a seguir contém os números de cada esquema:

  • 5: Máx. de bateria
  • 4: Desempenho e processador de balanceamento de servidor
  • 3: Sempre ligado
  • 2: Apresentação
  • 1: Portátil/Laptop
  • 0: Doméstico/Empresarial

Se adicionar ou remover esquemas, a numeração pode ser alterada.

/create Nome

Cria o esquema de alimentação especificado. O novo esquema é criado com as propriedades do esquema ativo no momento. Você pode usar a versão abreviada deste comando, /c.

/delete Nome

Exclui o esquema de alimentação especificado. Você pode usar a versão abreviada deste comando, /d.

/setactive Nome

Ativa o esquema de alimentação especificado. Você pode usar a versão abreviada deste comando, /s.

/change Configurações

Altera as configurações do esquema de alimentação especificado. Você pode usar a versão abreviada deste comando, /x. Para Configurações, use o seguinte para especificar as alterações:

 

Valor 

Descrição 

/monitor-timeout-ac Minutos Desativa o monitor depois de um número especificado de minutos quando o sistema estiver funcionando com corrente alternada. Um valor 0 desabilitará o tempo limite.
/monitor-timeout-dc Minutos Desativa o monitor depois de um número especificado de minutos quando o sistema estiver funcionando com corrente contínua (bateria). Um valor 0 desabilitará o tempo limite.
/disk-timeout-ac Minutos Desativa os discos rígidos depois de um número especificado de minutos quando o sistema estiver funcionando com corrente alternada. Um valor 0 desabilitará o tempo limite.
/disk-timeout-dc Minutos Desativa os discos rígidos depois de um número especificado de minutos quando o sistema estiver funcionando com corrente contínua (bateria). Um valor 0 desabilitará o tempo limite.
/standby-timeout-ac Minutos Coloca o computador em modo de espera depois de um número especificado de minutos quando o sistema estiver funcionando com corrente alternada. Um valor 0 desabilitará o tempo limite.
/standby-timeout-dc Minutos Coloca o computador em modo de espera depois de um número especificado de minutos quando o sistema estiver funcionando com corrente contínua (bateria). Um valor 0 desabilitará o tempo limite.
/hibernate-timeout-ac Minutos Salva o conteúdo da memória do computador no disco e desliga o computador depois de um número especificado de minutos quando o sistema estiver funcionando com corrente alternada. Um valor 0 desabilitará o tempo limite.
/hibernate-timeout-dc Minutos Salva o conteúdo da memória do computador no disco e desliga o computador depois de um número especificado de minutos quando o sistema estiver funcionando com corrente contínua (bateria). Um valor 0 desabilitará o tempo limite.
/processor-throttle-ac {none | constant | degrade | adaptive} Selecione a diretiva de regulagem dinâmica a ser usada se o microprocessador oferecer suporte aos controles de estado de desempenho quando o sistema estiver funcionando com corrente alternada. A tabela a seguir lista e descreve todas as opções da diretiva de regulagem dinâmica.

 

Valor 

Descrição 

None Faz com que o microprocessador funcione com o desempenho máximo o tempo todo
constant Faz com que o microprocessador funcione com o desempenho mínimo o tempo todo
degrade Faz com que o microprocessador funcione com o desempenho mínimo e ainda reduza o desempenho aplicando regulagem para parar o relógio à medida que a bateria do sistema descarrega

Observação

  • Normalmente, esta opção é usada quando o computador está funcionando com bateria e é, portanto, raramente usado com /processor-throttle-ac.
adaptive Modifica o estado do desempenho dinamicamente com base na demanda que o sistema coloca no microprocessador

 

/processor-throttle-dc {none | constant | degrade | adaptive} Selecione a diretiva de regulagem dinâmica a ser usada se o microprocessador oferecer suporte aos controles de estado de desempenho e quando o sistema estiver funcionando com corrente contínua (bateria). A diretiva de regulagem dinâmica desejada é selecionada com uma das quatro opções adicionais listadas em /processor-throttle-ac.

/hibernate [{on | off}]

Ativando ou desativando o recurso de hibernação. Não há suporte para o tempo limite da hibernação em todos os sistemas que oferecem suporte à hibernação. Você pode usar a versão abreviada deste comando, /h.

/exportNome [/file Nome_do_Arquivo]

Exporta o esquema de alimentação especificado para um arquivo. Você pode usar a versão abreviada deste comando, /e. Se nenhum nome de arquivo for especificado, o padrão é scheme.pow. Este parâmetro oferece suporte ao parâmetro /fileNome_do_Arquivo.

/importNome [/file Nome_do_Arquivo]

Importa o esquema de alimentação do arquivo especificado. Você pode usar a versão abreviada deste comando, /i. Se nenhum nome de arquivo for especificado, o padrão será scheme.pow. Se um esquema com esse nome já existir, ele será substituído pelo novo. Este parâmetro oferece suporte ao parâmetro /fileNome_do_Arquivo.

/numerical

Requer que você especifique o esquema de alimentação usando seu identificador numérico, em vez de seu nome. Use esta opção junto com os comandos /query, /delete, /setactive, /change, /export e /import. Você pode usar a versão abreviada deste comando, /n.

/globalpowerflag {on | off} /option:{batteryicon | multibattery | resumepassword | wakeonring | videodim}

Habilita ou desabilita os recursos de sinalização global de alimentação. Use a primeira opção para indicar se o recurso será habilitado ou desabilitado. Você pode usar a versão abreviada deste comando, /g. /option: é obrigatório e é seguido pelo nome do recurso que está sendo habilitado ou desabilitado. A tabela a seguir lista e descreve cada opção.

 

Valor 

Descrição 

Batteryicon Habilita ou desabilita o ícone de medidor de bateria na área de notificação. Quando este sinalizador está desmarcado, o ícone de medidor de bateria não é exibido
Multibattery Habilita ou desabilita várias exibições da bateria no medidor de energia do sistema
Resumepassword Habilita ou desabilita a obrigatoriedade do usuário fornecer uma senha quando o sistema for iniciado do modo em espera ou da hibernação
Wakeonring Habilita ou desabilita o suporte ao recurso Wake on Ring
Videodim Habilita ou desabilita o suporte para diminuir a exibição do vídeo quando o sistema é alterado da energia AC para a energia DC (bateria)

/availablesleepstates

Reporta os estados de dormir disponíveis no sistema e tenta reportar porque os estados de dormir estão indisponíveis. Você pode usar a versão abreviada deste comando, /a.

/batteryalarm [low | critical]

Exibe ou configura o alarme de bateria especificado. Usando essa opção sem nenhum parâmetro exibirá as seguintes configurações. Você pode usar a versão abreviada deste comando, /b. As seguintes opções podem ser especificadas:

  • /activate {on|off} Habilita ou desabilita o alarme.
  • /level (0-100) O alarme será ativado quando o nível de energia atingir essa porcentagem.
  • /text {on|off} Ativa ou desativa a notificação de texto.
  • /sound {on|off} Ativa ou desativa a notificação audível da notificação.
  • /action {none|shutdown|hibernate|standby} Especifica a ação a ser tomada quando esse alarme soar. Nem todas as ações estão sempre disponíveis.
  • /forceaction {on|off} Força o modo em espera ou de desligamento mesmo se um programa parar de responder.
  • /program {on|off} Especifica se o sistema executará um programa quando o alarme soar. Quando essa opção é usada, a saída será o nome da tarefa que pode ser usado com o Schtasks.exe /change para configurar o programa.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Exemplos

Os exemplos a seguir mostram como você pode usar o comando powercfg:

powercfg /list

powercfg /query scheme

powercfg /change scheme /monitor-timeout-dc 15

powercfg /change scheme /monitor-timeout-dc 0

powercfg /hibernate on

powercfg /globalpowerflag on /option: batteryicon 

***

Print

Imprimir

Envia um arquivo de texto para uma impressora.

Sintaxe

print [/d:Impressora] [Unidade:][Caminho] Nome_do_Arquivo […]

Parâmetros

/d:Impressora

Especifica a impressora na qual você deseja imprimir o trabalho. Você pode especificar uma impressora local definindo a porta no computador ao qual a impressora está conectada. Os valores válidos para portas paralelas são LPT1, LPT2 e LPT3. Os valores válidos para portas seriais são COM1, COM2, COM3 e COM4. Você também pode especificar uma impressora de rede pelo respectivo nome de fila (\\Nome_do_Servidor\Nome_do_Compartilhamento). Se não for especificada uma impressora, o trabalho de impressão é enviado para LPT1.

Unidade:

Especifica a unidade lógica ou física onde está localizado o arquivo a ser impresso. Este parâmetro não será necessário se o arquivo a ser impresso estiver localizado na unidade atual.

Caminho

Especifica o local, na unidade, onde se encontra o arquivo a ser impresso. Este parâmetro não será necessário se o arquivo a ser impresso estiver localizado na pasta atual.

Nome_do_Arquivo[…]

Obrigatório. Especifica o nome do arquivo a ser impresso. Você pode incluir vários arquivos em um comando.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Um arquivo pode ser impresso em segundo plano se você enviá-lo para uma impressora conectada a uma porta serial ou paralela no computador local.
  • Muitos programas possuem seus próprios comandos de impressão. Use o comando print de um programa para imprimir arquivos criados com o programa.
  • Você pode executar várias tarefas de configuração por meio da linha de comando usando o comando mode. Para obter mais informações sobre como configurar uma impressora conectada a uma porta paralela, como configurar uma impressora conectada a uma porta serial, como exibir o status de uma impressora ou como preparar uma impressora para alteração de página de código, consulte mode em Tópicos Relacionados.

Exemplos

Para enviar o arquivo Relat.txt localizado na pasta atual para uma impressora conectada a LPT2 no computador local, digite:

print /d:LPT2 relat.txt

Para enviar o arquivo Relat.txt localizado na pasta c:\Contabilidade para a fila de impressão Impres1 no servidor \\SalaDeRep, digite:

print /d:\\saladerep\impres1 c:\contabilidade\relat.txt

***

Prncnfg.vbs

Configura ou exibe informações de configuração sobre uma impressora. Usado sem parâmetros, prncnfg.vbs exibe a ajuda do comando prncnfg.vbs.

Para exibir informações de configuração sobre uma impressora

Sintaxe

cscript prncnfg.vbs-g [-s Computador_Remoto] -p Nome_Da_Impressora [-u Nome_Do_Usuário-w Senha]

Parâmetros

-g

Obrigatório. Especifica que você deseja exibir informações de configuração sobre uma impressora.

-sComputador_Remoto

Especifica o nome do computador remoto que gerencia a impressora sobre a qual você deseja exibir informações. Se não for especificado um computador, será utilizado o computador local.

-pNome_da_Impressora

Obrigatório. Especifica o nome da impressora sobre a qual você deseja exibir informações.

-uNome_Do_Usuário-w Senha

Especifica uma conta com permissões para conexão usando serviços do WMI com o computador da impressora sobre a qual você deseja exibir informações. Todos os membros do grupo <b>Administradores</b> desse computador têm essas permissões, mas é possível concedê-las também a outros usuários. Se não especificar uma conta, você precisará fazer logon com uma conta que tenha essas permissões para que o comando funcione. Para obter mais informações sobre o WMI, consulte <b>Tópicos Relacionados</b>.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Este comando inicia um script localizado na pasta raiz_do_sistema\system32. Digite-o em um prompt de comando com essa pasta como a atual ou digite o caminho completo para a pasta no início do comando cscript.
  • Se as informações que você fornecer contiverem espaços, use aspas para delimitar o texto (por exemplo, Nome do computador).

Exemplos

Para exibir informações de configuração para a impressora denominada ImpCor_2 cuja fila de impressão está hospedada no computador remoto denominado ServRH, digite:

cscript prncnfg.vbs -g -s ServRH -p ImpCor_2

Para configurar uma impressora

Sintaxe

cscript prncnfg.vbs-t [-sComputador_Remoto] -pNome_Da_Impressora [-uNome_Do_Usuário-wSenha] [-rNome_Da_Porta] [-lLocal] [-mComentário] [-hNome_Do_Compartilhamento] [-fTexto_Separador] [-yTipo_De_Dados] [-stHora_De_Início] [-utHora_De_Término] [-oPrioridade] [-iPrioridade_Padrão] [{+ | }shared] [{+ | }direct] [{+ | }published] [{+ | }hidden] [{+ | }rawonly] [{+ | }queued] [{+ | }keepprintedjobs] [{+ | }workoffline] [{+ | }enabledevq] [{+ | }docompletefirst][{+ | }enablebidi]

Parâmetros

-t

Obrigatório. Especifica que você deseja configurar uma impressora.

-sComputador_Remoto

Especifica o nome do computador remoto que gerencia a impressora a ser configurada. Se você não especificar um computador, a impressora será configurada no computador local.

-pNome_da_Impressora

Obrigatório. Especifica o nome da impressora a ser configurada.

-uNome_Do_Usuário-w Senha

Especifica uma conta com permissões para se conectar através dos serviços do WMI ao computador no qual você deseja configurar uma impressora. Todos os membros do grupo <b>Administradores</b> desse computador têm essas permissões, mas é possível concedê-las também a outros usuários. Se não especificar uma conta, você precisará fazer logon com uma conta que tenha essas permissões para que o comando funcione. Para obter mais informações sobre WMI, consulte <b>Tópicos Relacionados</b>.

-rnome_da_porta

Especifica a porta à qual a impressora está conectada. Se for uma porta paralela ou serial, use a identificação da porta (por exemplo, LPT1 ou COM1). Se for uma porta TCP/IP, use o nome de porta definido quando a porta foi adicionada. Para obter mais informações, consulte <b>Tópicos Relacionados</b>.

-lLocalização

Especifica a localização da impressora como, por exemplo, “Sala de Reprodução”.

-mComentário

Especifica a seqüência de comentários.

-hNome_do_Compartilhamento

Especifica o nome do compartilhamento.

-fTexto_do_Separador

Especifica um arquivo que contém o texto exibido na página do separador.

-yTipo_de_Dados

Especifica os tipos de dados que a impressora pode aceitar. Para obter mais informações sobre tipos de dados, consulte <b>Tópicos Relacionados</b>.

-stHora_de_Início

Configura a impressora para disponibilidade limitada. Especifica a hora do dia após a qual a impressora estará disponível. Se você enviar um documento a uma impressora quando ela não estiver disponível, o documento será retido (colocado no spool) até que a impressora fique disponível. A hora deve ser especificada no formato de 24 horas. Por exemplo, para especificar 11:00 da noite, digite 2300.

-utHora_de_Término

Configura a impressora para disponibilidade limitada. Especifica a hora do dia após a qual a impressora não estará mais disponível. Se você enviar um documento a uma impressora quando ela não estiver disponível, o documento será retido (colocado no spool) até que a impressora fique disponível. A hora deve ser especificada no formato de 24 horas. Por exemplo, para especificar 11:00 da noite, digite 2300.

-oPrioridade

Especifica a prioridade que o spooler utiliza para rotear trabalhos de impressão. Uma fila de impressão com maior prioridade receberá todos os trabalhos relativos a ela antes de qualquer outra fila com prioridade inferior.

-iPrioridade_Padrão

Especifica a prioridade padrão atribuída a cada trabalho de impressão.

{+ | -}shared

Especifica se a impressora é compartilhada na rede.

{+ | -}direct

Especifica se o documento deve ser enviado diretamente à impressora sem passar pelo spool.

{+ | -}published

Especifica se a impressora deve ser publicada no <b>Active Directory</b>. Se for publicada, outros usuários poderão encontrá-la com base em sua localização e recursos como, por exemplo, impressão em cores e grampeamento.

{+ | -}hidden

Função reservada.

{+ | -}rawonly

Especifica se somente trabalhos de impressão com dados não formatados serão aceitos para spool na fila.

{+ | -}queued

Especifica que a impressora só deve começar a imprimir depois que a última página do documento for colocada no spool. O programa de impressão fica indisponível até o fim da impressão do documento. No entanto, o uso desta opção garante que todo o documento fique disponível para a impressora.

{+ | -}keepprintedjobs

Especifica que o spooler deve reter os documentos após a impressão. A ativação dessa opção permite que o usuário reapresente um documento à impressora a partir da fila de impressão e não do programa de impressão.

{+ | -}workoffline

Especifica se você pode enviar trabalhos de impressão para a fila de impressão mesmo que o seu computador não esteja conectado à rede.

{+ | -}enabledevq

Especifica se os trabalhos de impressão que não corresponderem à configuração da impressora (por exemplo, arquivos PostScript no spool de impressoras não-PostScript) devem ser mantidos na fila em vez de serem impressos.

{+ | -}docompletefirst

Especifica se o spooler deve enviar para a fila apropriada os trabalhos de impressão com prioridade inferior que tiverem completado o spool antes de enviar para a mesma fila os trabalhos de impressão com prioridade superior que não tiverem completado o spool. Se esta opção for ativada e nenhum documento tiver completado o spool, o spooler enviará os documentos maiores antes dos menores. Ative esta opção se desejar maximizar a eficiência da impressora em detrimento da prioridade do trabalho. Se esta opção for desativada, o spooler sempre enviará primeiro os trabalhos de prioridade superior para suas respectivas filas.

{+ | -}enablebidi

Especifica se a impressora envia informações de status ao spooler.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Este comando inicia um script localizado na pasta raiz_do_sistema\system32. Digite-o em um prompt de comando com essa pasta como a atual ou digite o caminho completo para a pasta no início do comando cscript.
  • Se as informações que você fornecer contiverem espaços, use aspas para delimitar o texto (por exemplo, Nome do computador).

Exemplos

Para configurar uma impressora denominada ImpCor_2 de forma que o spooler no computador remoto denominado ServRH retenha os trabalhos de impressão depois que tiverem sido impressos, digite:

cscript prncnfg.vbs -t -s ServRH -p ImpCor_2 +keepprintedjobs

Para alterar o nome de uma impressora

Sintaxe

cscript prncnfg.vbs-x [-sComputador_Remoto] -pNome_Da_Impressora-zNovo_Nome_Da_Impressora [-uNome_Do_Usuário-wSenha]

Parâmetros

-x

Obrigatório. Especifica que você deseja alterar o nome de uma impressora.

-sComputador_Remoto

Especifica o nome do computador remoto que gerencia a impressora cujo nome você deseja alterar. Se você não especificar um computador, o computador local será usado.

-pNome_da_Impressora

Obrigatório. Especifica o nome atual da impressora.

-zNovo_Nome_da_Impressora

Obrigatório. Especifica o novo nome da impressora.

-uNome_Do_Usuário-w Senha

Especifica uma conta com permissões para se conectar através dos serviços do WMI ao computador da impressora cujo nome você deseja alterar. Todos os membros do grupo <b>Administradores</b> desse computador têm essas permissões, mas é possível concedê-las também a outros usuários. Se não especificar uma conta, você precisará fazer logon com uma conta que tenha essas permissões para que o comando funcione. Para obter mais informações sobre WMI, consulte <b>Tópicos Relacionados</b>.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Este comando inicia um script localizado na pasta raiz_do_sistema\system32. Digite-o em um prompt de comando com essa pasta como a atual ou digite o caminho completo para a pasta no início do comando cscript.
  • Se as informações que você fornecer contiverem espaços, use aspas para delimitar o texto (por exemplo, Nome do computador).

Exemplos

Para fazer com que o nome de uma impressora em um computador remoto denominado ServRH seja alterado de ImpCor_2 para ImpCor_3, digite:

cscript prncnfg.vbs -x -s ServRH -p ImpCor_2 -z ImpCor_3

***

Prndrvr.vbs

Adiciona, exclui e lista drivers de impressora. Usado sem parâmetros, prndrvr.vbs exibe ajuda de linha de comando para o comando prndrvr.vbs.

Para instalar um driver de impressora

Sintaxe

cscript prndrvr.vbs-a [-m Nome_do_Driver] [-v {0 | 1 | 2 | 3}] [-e Ambiente] [-s Computador_Remoto] [-h Caminho] [-i Nome_do_Arquivo.inf] [-u Nome_do_Usuário -w Senha]

Parâmetros

-a

Obrigatório. Especifica que você deseja instalar um driver.

-mNome_do_Driver

Especifica o nome do driver a ser instalado. Em geral, os drivers são nomeados de acordo com o modelo de impressora ao qual dão suporte. Consulte a documentação da impressora para obter mais informações.

-v {0 | 1 | 2 | 3}

Especifica a versão do driver a ser instalado. Consulte a descrição do parâmetro -e Ambiente para obter informações sobre quais versões estão disponíveis para cada ambiente. Se você não especificar uma versão, será instalada a versão do driver apropriada para a versão do Windows em execução no computador onde o driver está sendo instalado.

  • A versão 0 oferece suporte ao Windows 95, Windows 98 e Windows Millennium Edition.
  • A versão 1 oferece suporte ao Windows NT 3.51.
  • A versão 2 oferece suporte ao Windows NT 4.0.
  • A versão 3 oferece suporte ao Windows XP, Windows 2000 e à família Windows Server 2003.

-eAmbiente

Especifica o ambiente do driver a ser instalado. Se você não especificá-lo, será usado o ambiente do computador no qual o driver está sendo instalado. A tabela a seguir lista os ambientes de driver e as versões disponíveis para cada um deles.

 

Ambiente Versões disponíveis
“Windows NT x86” 1, 2 e 3
“Windows NT Alpha_AXP” 1 e 2
“Windows IA64” 3
“Windows NT R4000” 1
“Windows NT PowerPC” 1
“Windows 4.0” 0

-sComputador_Remoto

Especifica o computador remoto no qual o driver será instalado. Se você não especificá-lo, o driver será instalado no computador local.

-hCaminho

Especifica o caminho para o arquivo de driver. Se você não especificá-lo, será usado o caminho para o local de onde o Windows foi instalado.

-iNome_do_Arquivo.inf

Especifica o nome do arquivo do driver a ser instalado. Se você não especificar um nome de arquivo, ntprint.inf será usado.

-uNome_do_Usuário-wSenha

Especifica uma conta com permissões para se conectar através dos serviços do WMI ao computador no qual o driver será instalado. Todos os membros do grupo Administradores desse computador têm essas permissões, mas é possível concedê-las também a outros usuários. Se não especificar uma conta, você precisará fazer logon com uma conta que tenha essas permissões para que o comando funcione. Para obter mais informações sobre WMI, consulte Tópicos Relacionados.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Este comando inicia um script localizado na pasta raiz_do_sistema\system32. Digite-o em um prompt de comando com essa pasta como a atual ou digite o caminho completo para a pasta no início do comando cscript.
  • Se as informações que você fornecer contiverem espaços, use aspas para delimitar o texto (por exemplo, Nome_do_Computador).

Exemplos

Para adicionar a versão 3 do driver de impressora chamado “Driver de impressora colorida 1” ao computador local, que oferece um ambiente baseado no Windows NT x86, digite:

cscript prndrvr.vbs -a -m “Driver de Impressora Colorida 1” -v 3 -e “Windows NT x86”

Para excluir um driver de impressora

Sintaxe

cscript prndrvr.vbs-d [-s Computador_Remoto] -m Nome_do_Driver -v {0 | 1 | 2 | 3} -e Ambiente [-u Nome_do_Usuário -w Senha]

Parâmetros

-d

Obrigatório. Especifica que você deseja excluir um driver.

-sComputador_Remoto

Especifica o computador remoto do qual você deseja excluir o driver. Se você não especificar um computador, o driver será excluído do computador local.

-mNome_do_Driver

Obrigatório. Especifica o nome do driver a ser excluído. Em geral, os drivers são nomeados de acordo com o modelo de impressora ao qual dão suporte. Consulte a documentação da impressora para obter mais informações.

-v {0 | 1 | 2 | 3}

Obrigatório. Indica a versão do driver a ser excluída. Consulte a descrição do parâmetro -e Ambiente para obter informações sobre quais versões estão disponíveis em cada ambiente.

  • A versão 0 oferece suporte ao Windows 95, Windows 98 e Windows Millennium Edition.
  • A versão 1 oferece suporte ao Windows NT 3.51.
  • A versão 2 oferece suporte ao Windows NT 4.0.
  • A versão 3 oferece suporte ao Windows XP e Windows 2000.

-eAmbiente

Obrigatório. Especifica o ambiente do driver a ser excluído. A tabela a seguir lista os ambientes de driver e as versões disponíveis para cada um deles.

 

Ambiente Versões disponíveis
“Windows NT x86” 1, 2 e 3
“Windows NT Alpha_AXP” 1 e 2
“Windows IA64” 3
“Windows NT R4000” 1
“Windows NT PowerPC” 1
“Windows 4.0” 0

-uNome_do_Usuário-wSenha

Especifica uma conta com permissões para se conectar através dos serviços do WMI ao computador do qual o driver será excluído. Todos os membros do grupo Administradores desse computador têm essas permissões, mas é possível concedê-las também a outros usuários. Se não especificar uma conta, você precisará fazer logon com uma conta que tenha essas permissões para que o comando funcione. Para obter mais informações sobre WMI, consulte Tópicos Relacionados.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Este comando inicia um script localizado na pasta raiz_do_sistema\system32. Digite-o em um prompt de comando com essa pasta como a atual ou digite o caminho completo para a pasta no início do comando cscript.
  • Ao excluir um driver de impressora, inclua os parâmetros de ambiente e de versão.
  • Se as informações que você fornecer contiverem espaços, use aspas para delimitar o texto (por exemplo, Nome_do_Computador).

Para listar os drivers de impressora em um computador

Sintaxe

cscript prndrvr.vbs-l [-sComputador_Remoto] [-uNome_do_Usuário-wSenha]

Parâmetros

-l

Obrigatório. Especifica que você deseja listar todos os drivers em um computador.

-sComputador_Remoto

Indica o computador remoto cujos drivers serão listados. Se você não especificar um computador, os drivers no computador local serão listados.

-uNome_do_Usuário-wSenha

Especifica uma conta com permissões para se conectar através dos serviços do WMI ao computador cujos drivers serão listados. Todos os membros do grupo Administradores desse computador têm essas permissões, mas é possível concedê-las também a outros usuários. Se não especificar uma conta, você precisará fazer logon com uma conta que tenha essas permissões para que o comando funcione. Para obter mais informações sobre WMI, consulte Tópicos Relacionados.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Este comando inicia um script localizado na pasta raiz_do_sistema\system32. Digite-o em um prompt de comando com essa pasta como a atual ou digite o caminho completo para a pasta no início do comando cscript.
  • Se as informações que você fornecer contiverem espaços, use aspas para delimitar o texto (por exemplo, Nome_do_Computador).

Para excluir todos os drivers de impressora não usados de um computador

Sintaxe

cscript prndrvr.vbs-x [-s Computador_Remoto] [-u Nome_do_Usuário -w Senha]

Parâmetros

-x

Obrigatório. Especifica que você deseja excluir todos os drivers de impressora não usados de um computador. Este parâmetro exclui drivers de impressora que são instalados em clientes que executam outras versões do Windows. O componente <b>Fax</b> pode requerer esses drivers quando ele é usado como um servidor de fax em computadores que executam o Windows 95, o Windows 98, o Windows Millennium Edition e computadores cliente Windows NT 4.0. Este parâmetro também exclui o driver de fax principal se ele não estiver em uso. Se excluir um driver que está sendo usado pelo componente <b>Fax</b>, você deve reinstalar o componente fax ou ele não funcionará corretamente.

-sComputador_Remoto

Especifica o computador remoto do qual os drivers serão excluídos. Se você não especificar um computador, os drivers serão excluídos do computador local.

-uNome_do_Usuário-wSenha

Especifica uma conta com permissões para se conectar através dos serviços do WMI ao computador do qual os drivers serão excluídos. Todos os membros do grupo Administradores desse computador têm essas permissões, mas é possível concedê-las também a outros usuários. Se não especificar uma conta, você precisará fazer logon com uma conta que tenha essas permissões para que o comando funcione. Para obter mais informações sobre WMI, consulte Tópicos Relacionados.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Este comando inicia um script localizado na pasta raiz_do_sistema\system32. Digite-o em um prompt de comando com essa pasta como a atual ou digite o caminho completo para a pasta no início do comando cscript.
  • Se as informações que você fornecer contiverem espaços, use aspas para delimitar o texto (por exemplo, Nome_do_Computador).

***

Prnjobs.vbs

Pausa, continua, cancela e lista trabalhos de impressão. Quando utilizado sem parâmetros, prnjobs.vbs exibe a ajuda de linha de comando relacionada ao comando prnjobs.vbs.

Para pausar um trabalho de impressão

Sintaxe

cscript prnjobs-z [-sComputador_Remoto]-pNome_da_Impressora-jNúmero_do_Trabalho [-uNome_do_Usuário-wSenha]

Parâmetros

-z

Obrigatório. Especifica que você deseja pausar um trabalho de impressão.

-sComputador_Remoto

Especifica o nome do computador remoto para o qual foi enviado o trabalho de impressão que você deseja pausar. Se você não especificar um computador, o computador local será usado.

-pNome_da_Impressora

Obrigatório. Especifica o nome da impressora que imprimiria o trabalho que deseja pausar.

-jNúmero_do_Trabalho

Obrigatório. Especifica, por número de identificação, o trabalho de impressão que deseja pausar.

-uNome_do_Usuário-w Senha

Especifica uma conta com permissões para se conectar através dos serviços do WMI ao computador para o qual foi enviado o trabalho de impressão que deseja pausar. Todos os membros do grupo <b>Administradores</b> desse computador têm essas permissões, mas é possível concedê-las também a outros usuários. Se não especificar uma conta, você precisará fazer logon com uma conta que tenha essas permissões para que o comando funcione. Para obter mais informações sobre o WMI, consulte <b>Tópicos relacionados</b>.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Este comando inicia um script localizado na pasta systemroot\system32. Digite-o em um prompt de comando com essa pasta como a atual ou digite o caminho completo para a pasta no início do comando cscript.
  • Para exibir uma lista de trabalhos de impressão e os respectivos números de identificação, use este comando com o parâmetro -l.
  • Se as informações que você fornecer contiverem espaços, use aspas para delimitar o texto (por exemplo, Nome do Computador).

Exemplos

Para pausar um trabalho de impressão cuja identificação é 27 e que foi enviado para o computador remoto chamado Servidor_HR para ser impresso em Impressora_colorida, digite:

cscript prnjobs.vbs -z -s Servidor_HR -p Impressora_colorida -j 27

Para continuar um trabalho de impressão

Sintaxe

cscript prnjobs-m [-sComputador_Remoto]-pNome_da_Impressora-jNúmero_do_Trabalho [-uNome_do_Usuário-wSenha]

Parâmetros

-m

Obrigatório. Especifica que você deseja continuar um trabalho de impressão.

-sComputador_Remoto

Especifica o nome do computador remoto para o qual foi enviado o trabalho de impressão que você deseja continuar. Se você não especificar um computador, o computador local será usado.

-pNome_da_Impressora

Obrigatório. Especifica o nome da impressora que imprimirá o trabalho que deseja continuar.

-jNúmero_do_Trabalho

Obrigatório. Especifica, por número de identificação, o trabalho de impressão que deseja continuar.

-uNome_do_Usuário-w Senha

Especifica uma conta com permissões para se conectar através dos serviços do WMI ao computador para o qual foi enviado o trabalho de impressão que deseja continuar. Todos os membros do grupo <b>Administradores</b> desse computador têm essas permissões, mas é possível concedê-las também a outros usuários. Se não especificar uma conta, você precisará fazer logon com uma conta que tenha essas permissões para que o comando funcione. Para obter mais informações sobre o WMI, consulte <b>Tópicos relacionados</b>.

/?

Exibe ajuda no prompt de comando.

Comentários

  • Este comando inicia um script localizado na pasta systemroot\system32. Digite-o em um prompt de comando com essa pasta como a atual ou digite o caminho completo para a pasta no início do comando cscript.
  • Para exibir uma lista de trabalhos de impressão e os respectivos números de identificação, use este comando com o parâmetro -l.
  • Se as informações que você fornecer contiverem espaços, use aspas para delimitar o texto (por exemplo, Nome do Computador).
comentários
  1. Charles disse:

    http://small-games.info/?go=game&c=9&i=1126

    ai pessual a verssão original do NTDS 2.4 Ta Nesse Site

    o Codigo brrrrr so pega nesse jogo vc baixa ele e la no code coooditel vo bota o codigo de hack

    sim criei uma nova rede chamada Beta.Rede Senha:123 pode ter 100% de certeza que eu estou serto

    sim sei truquis de recucita golpes de bunecos que vc nuca imaginarião dar e etc falem com migo meu mcn e http://www.gatobc@hotmail.com bote www essse e antigo blz

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s